Mauro Kwitko sobre Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica (Entrevista)

1. O que é e como surgiu a Psicoterapia Reencarnacionista?
A Psicoterapia Reencarnacionista é uma nova escola psicológica que propõe a fusão da Psicoterapia com a Reencarnação. Ela vem para trazer o real sentido de psicologia: psyché=alma + logia=estudo, ou seja o estudo da alma. É a Reencarnação no consultório psicoterápico, e visa nos ajudar a encontrar a finalidade dessa atual encarnação, a nossa programação pré-reencarnatória e alcançarmos um real aproveitamento dessa atual passagem, no sentido da evolução espiritual.

A finalidade de um Tratamento com a Psicoterapia Reencarnacionista, alguns meses de consultas e sessões de Regressão Ética, é saber como vem sendo o nosso aproveitamento das encarnações, se viemos evoluindo com o passar dos séculos, para o que viemos reencarnado e para o que reencarnamos dessa vez e podermos mudar a “versão-persona” que temos de nossa infância e de nossa vida para a “Versão-Espírito” a esse respeito, e, assim, podermos realmente aproveitar a nossa atual encarnação.

A Psicoterapia Reencarnacionista começou a estruturar-se em 1996, em Porto Alegre, inicialmente comigo e gradativamente foram chegando mais terapeutas que entenderam a importância da existência de uma psicoterapia baseada na Reencarnação aqui na Terra. Atualmente estamos com o Curso de Formação em 7 estados do Brasil, Pernambuco será o 8º estado a ter o Curso, 27 Ministrantes de Curso e psicoterapeutas reencarnacionistas em cerca de 100 cidades brasileiras.

2. O que significa “versão-persona” X “Versão-Espírito”?
A “versão-persona” é como a nossa criança biológica entendeu a infância co-criada pelo nosso Espírito em uma “parceria” com Deus, baseada nas Leis Divinas da Necessidade, da Finalidade, do Merecimento, do Retorno, do Resgate e da Similaridade. Essa leitura limitada e equivocada mantém-se geralmente por toda a encarnação e frequentemente é permeada de mágoa, sentimento de rejeição, de raiva e de uma sensação de injustiça. Dessa visão, surgem as doenças mentais, psíquicas e suas repercussões físicas. A “Versão-Espírito” é como o nosso Eu Superior e nossos Mentores Espirituais enxergam a nossa infância e seus coadjuvantes e a nossa vida e é sempre muito diferente, pois é vista do alto e não de uma maneira rasteira. A Psicoterapia Reencarnacionista visa, através de um Tratamento em consultório, nos ajudar a encontrar a “Versão-Espírito” e fazê-la sobrepujar a “versão-persona”, trazendo uma cura para a nossa alma e para as nossas doenças.

3. O que é Personalidade Congênita?
É um padrão comportamental repetitivo que viemos apresentando encarnação após encarnação. O seu entendimento é a chave para relembrarmos a nossa proposta de Reforma Íntima. Esse termo encontra-se no livro “Obreiros da Vida Eterna”, de André Luiz, psicografado por Chico Xavier em uma palestra do Dr. Barcellos, psiquiatra desencarnado, no Nosso Lar, páginas 32 a 34, deitado em 1946. A Personalidade Congênita é um dos pilares da Psicoterapia Reencarnacionista. Significa simplesmente que “Somos como somos pois nascemos assim”.

4. A Psicoterapia Reencarnacionista utiliza no tratamento a Regressão Terapêutica. Como se dá o uso dessa ferramenta?
A Regressão Terapêutica é uma das principais ferramentas utilizadas na Psicoterapia Reencarnacionista. Ela é realizada pelo psicoterapeuta mas dirigida, comandada, pelos Mentores Espirituais da pessoa em tratamento, respeitando a Lei do Esquecimento, segundo o que encontra-se no “Livro dos Espíritos” na questão 399. Não direcionamos a Regressão (recordação do passado) para a queixa da pessoa, para o motivo de sua consulta, para seu desejo ou vontade. Não utilizamos Hipnose nem outro método, apenas a meditação, lúcida, em que, após 15 a 20 minutos, com a sua frequência mais elevada, os Mentores direcionam a recordação para a vida passada que é ético ser acessada, como se fosse no Telão do período intervidas.

É uma oportunidade de ampliação do autoconhecimento e de desligamento de situações traumáticas do passado. A cada vida passada acessada, a recordação abrange aquela encarnação, até seu final, o seu desencarne, a subida para o Mundo Espiritual (período intervidas), até todas as ressonâncias da vida terrena anterior terem desaparecido, no que chamamos de “Ponto ótimo”, com isso a pessoa recorda uma vida passada e o período intervidas subsequente, relembrando o que estudou, o que aprendeu, o que re-significou quando estava no Mundo Espiritual, podendo até recordar a sua Programação para essa atual encarnação.

Não é um procedimento espírita, não acontece incorporação do Mentor da pessoa, nem esse Ser aparece, materializa-se ou manifesta-se de alguma maneira. O processo regressivo ocorre naturalmente, oportunizando que a pessoa acesse as encarnações que são eticamente permitidas serem acessadas, que o Mundo Espiritual entende que está na hora de acessar, para desligar-se daquela encarnação e/ou para um aprendizado específico.
A Psicoterapia Reencarnacionista não é sinônimo de Terapia de Vidas Passadas (TVP), ela é sua evolução, é uma Psicoterapia com Regressão. Tem duas finalidades:
– Desligamento – desconectar as pessoas de situações traumáticas do seu passado que ainda estão acontecendo em seu Inconsciente, originando sintomas, como os casos de fobia, síndrome do pânico, depressões severas, dores físicas crônicas, como a fibromialgia, por exemplo, os sentimentos intensos de solidão, de abandono, as mágoas profundas etc. que podem, deste modo, melhorar ou curar rapidamente.
– Conscientização – ajudar as pessoas a encontrarem a sua Personalidade Congênita para poderem comparar-se como são hoje e aí entenderem a sua proposta de Reforma Íntima, para que possam incrementar uma verdadeira transformação interior, no caminho de retorno à Purificação.

5. Como é o Tratamento?
O Tratamento dura alguns meses ou ano, com consultas de uma hora e sessões de regressão de duas horas, aproximadamente. As consultas podem ser semanais, a cada 10 dias ou quinzenais. Durante o Tratamento são realizadas uma média de 3 ou 4 sessões de regressão, intercaladas com conversas sobre o que a pessoa está aprendendo com a rememoração de vidas passadas promovida pelos seus Mentores, o que está mudando em sua maneira de enxergar a sua vida (“versão-persona” X “Versão-Espírito”), como está agora relendo a sua infância do ponto de vista reencarnacionista, se está melhorando suas inferioridades, resgatando-se com outros Espíritos encarnados (geralmente em sua família), se está entendendo o retorno de alguns atos equivocados de outras encarnações, e se está começando realmente a entender que estamos em um lugar de passagem, que a nossa Casa verdadeira é lá no Mundo Espiritual e que devemos aproveitar ao máximo as encarnações, para retornarmos para Casa com a sensação do dever cumprido, da missão realizada.

6. Quais as principais diferenças entre a Psicoterapia Reencarnacionista e a Psicologia atual?
A Psicologia atual, herdeira da concepção católica e das religiões afins, não-reencarnacionista, originada no II Concílio de Constantinopla em 553 d.C., enxerga a nossa vida apenas desde a infância, limitando o seu campo de ação a uma fração mínima da nossa existência e trabalha com um conceito equivocado que é a “Formação da personalidade!, pois, para ela, não existíamos antes. Considera, então, que nossas características de personalidade originam-se lá no “início da vida”, bem como nossos sentimentos e tendências inferiores, pela conjunção de fatores genéticos, hereditários e ambientais. Com a Reencarnação, e a Psicoterapia Reencarnacionista, a infância deixa de ser considerada o início da vida e passa a ser vista como a continuação de nossa vida eterna, interrompida na encarnação anterior. A nossa família não é um conjunto de pessoas que se uniram ao acaso por laços afetivos e, sim, um agrupamento de Espíritos unidos por laços kármicos. As situações que vamos encontrando no decorrer da vida não são aleatórias e, sim, reflexos, consequências, decorrências de nossos atos passados, necessidades para nosso projeto evolutivo espiritual. Tudo na nossa vida é co-criado por nós, segundo o que necessitamos aprender ou resgatar.

7.O Movimento Espírita demonstra uma certa preocupação em relação à Terapia de Vidas Passadas em relação à falta de respeito à Lei do Esquecimento. Como a Psicoterapia Reencarnacionista lida com esta questão?
A Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista (ABPR) concorda integralmente com o Movimento Espírita nesse sentido e a moralização da Terapia de Regressão é uma de nossas bandeiras. Temos, como uma de nossas principais diretrizes, um absoluto respeito pela Lei do Esquecimento, e realizamos Regressões obedecendo a Lei do Esquecimento, conforme cita o “Livro dos Espíritos”, na questão 399 a respeito do “Esquecimento do passado”:
“Mergulhando na vida corpórea, perde o Espírito, momentaneamente, a lembrança de suas existências anteriores, como se um véu as cobrisse. Todavia, conserva algumas vezes vaga consciência e LHE PODEM SER REVELADAS. Esta revelação, porém, SÓ OS ESPÍRITOS SUPERIORES ESPONTANEAMENTE LHE FAZEM, COM UM FIM ÚTIL, NUNCA PARA SATISFAZER A VÃ CURIOSIDADE.”

O nosso Método regressivo obedece fielmente essa determinação. Mais detalhes sobre o assunto podem ser acessado em Carta às casas e federações espíritas

* Para saber mais sobre o tratamento com a Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica Método ABPR (Conduzida pelos Mentores Espirituais e Consciente) em São Paulo/SP,  entre em contato no e-mail: contato@soldoeverest.com.br

Saber mais sobre o Mauro Kwitko: Clique aqui 

Fonte da entrevista: Portal flores no ar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *